Melhor Blogue de Fotografia de Viagens 2014, 2015 e 2016 (BTL Blogger Travel Awards) // Melhor Blogue de Viagens Open World 2017 (Momondo)

Daici e Wilder

Quase duas semanas passaram desde que cheguei do Peru. Escolher a primeira fotografia de uma viagem de quase um mês revelou-se uma tarefa mais árdua do que esperava. A missão de escolher uma imagem que representasse a cultura peruana, os peruanos, a experiência que tive é, provavelmente, demasiado ambiciosa.

Escolhi esta fotografia de dois irmãos – Daici e Wilder – não só porque é para mim representativa da hospitalidade e genuinidade peruanas, mas também porque me faz recordar de alguns dos melhores momentos que pude viver no Peru. Foi tirada na ilha de Amantani, no lago Titicaca, numa aldeia a cerca de 4000 metros de altitude, onde pernoitei. Rosália – assim chamava-se a mãe de Daici e Wilder – era a anfintriã na casa onde eu ia dormir. Diziam-me para a tratar apenas por “mama”.

Enquanto o marido estava fora, Rosália era quem tinha a incumbência de garantir uma boa estadia nessa noite. As refeições eram humildes, mas deliciosas, feitas à base de quinoa, batata-doce e milho. Carne é um luxo raro numa ilha praticamente sem vegetação e com apenas 800 famílias quechuas. A electricidade ainda não chegou ali, mas alguns painéis solares providenciavam algumas horas de luz nas principais divisões da casa.

Wilder, de 16 anos, quer ser engenheiro, mas na ilha a escola é básica e a “escola grande” está apenas em Puno, a algumas horas de barco dali e o dinheiro não abunda. Dificilmente poderá seguir o seu sonho. Os homens da ilha são normalmente pescadores ou agricultores. Nesta ilha são também os homens que tecem os seus próprios barretes – feitos de lã de alpaca – e o de Wilder não é excepção. A pequena Daici estava obviamente curiosa com a presença de turistas em casa, situação que acontecia poucas vezes por ano.

Como em qualquer criança, a timidez inicial foi rapidamente vencida e deu lugar à brincadeira, uma alegria contagiante, que aqueceu a casa na noite fria do altiplano. Esta fotografia foi tirada logo a seguir ao almoço. Era tempo de explorar a “ilha da fantasia”, mas isso já é outra história.




Deixe um comentário